top of page

Os desafios do empreendedorismo feminino

É preciso ter leveza


Atualmente as mulheres representam cerca de 49% do mercado empreendedor. Segundo dados do Sebrae, em pesquisa do GEM (Global Entrepreneurship Monitor 2020), o Brasil é o sétimo país com o maior número de mulheres empreendedoras.


Contudo, vemos constantemente mulheres sendo desafiadas a superar seus limites, o que não acontece com tanta intensidade no universo masculino. Isso faz com que essas mulheres tenham uma auto cobrança, cada vez maior. 


Uma empreendedora, ao fundar sua própria empresa, pode se sentir constantemente pressionada para alcançar altos padrões de desempenho. Ela pode se cobrar excessivamente para atingir metas financeiras ambiciosas, manter a excelência nos produtos ou serviços oferecidos.


Sabemos que o empreendedorismo feminino enfrenta diversas dificuldades, incluindo a desigualdade de gênero no acesso a recursos financeiros e oportunidades. Mulheres empreendedoras muitas vezes lidam com estereótipos e preconceitos, enfrentando barreiras para serem levadas a sério no ambiente de negócios. Além disso, a falta de representatividade, em setores específicos, pode limitar as redes de apoio e mentoria disponíveis para mulheres empreendedoras. Essas dificuldades destacam a importância de promover um ambiente mais inclusivo e igualitário no cenário empreendedor. Por outro lado, ficamos felizes em ver que a cada dia a sociedade tem dado um passo para mudar essas realidades, demonstrando força e coragem. E, assim, as mulheres têm conquistado o seu espaço.


Todavia, é importante tomar muito cuidado, pois muitas vezes a mulher tem travado uma luta com ela mesma. Na pressão de conciliar múltiplos papéis e buscando por equilíbrio entre carreira, família e vida pessoal, isso tem gerado desafios emocionais e físicos. É importante reconhecer essa luta, promover a auto aceitação e definir prioridades realistas, buscando apoio - quando necessário.


Ter leveza, adotando uma abordagem mais descontraída e positiva em relação à vida, praticar a gratidão, cultivar momentos de lazer e aprender a se desapegar do que não pode ser controlado, são questões importantes. É útil desenvolver uma mentalidade resiliente, focando em soluções - ao invés de problemas e reservar tempo para atividades que tragam alegria e relaxamento. A autocompaixão e a aceitação de imperfeições são elementos essenciais para alcançar um estado de leveza na jornada diária. E, por fim, é de extrema importância buscar equilíbrio priorizando tarefas conforme sua importância, delegar responsabilidades sempre que possível e aprender a dizer "não", quando necessário.


O olhar de uma empreendedora

Marcela Xavier, diretora da Dale Carnegie São José do Rio Preto, atua com treinamentos voltados a empresários. Recentemente a empresária teve seu primeiro filho e, segundo ela, a verdade é que as mulheres vão assumindo cada vez mais papéis que vem com inúmeras tarefas e, assim, dificilmente conseguem dar conta 100% de tudo o tempo todo. “Algumas vezes nosso negócio vai perder a velocidade, pois nosso filho precisa de mais atenção e é importante aceitar isso com leveza para não comprometer o principal: nossa saúde física e mental. E no meio dessa rotina devemos nos permitir a alimentarmos melhor, a simplesmente respirarmos, ter o auto cuidado e estarmos atentas. Pois, por querer que tudo saia perfeito, muitas vezes não enxergamos as oportunidades. Uma rotina com gerenciamento de tempo e colaboradores para os quais possamos delegar aquilo que pode ser terceirizado - é fundamental para não perdermos a qualidade e a sanidade."




Comentarios


bottom of page