Ciro Thiago Neto

Empresário fala sobre sua vida, sucesso nos negócios e família


Nascido em São José do Rio Preto, o jovem empresário de vinte e seis anos passou parte de sua vida em Goiás, onde sua família tinha fazenda. Teve que ser responsável desde muito novo. Perdeu sua maior referência de vida, seu pai, aos vinte e dois anos de idade e isso só fez com que ele se tornasse mais forte. Hoje Ciro é fundador do “Compre Gados”, Co-fundador do “Bebidas Online” e Diretor comercial da Associação Renascer Rio Preto.


Quem é o Ciro?

Sou um homem que desde novo gosta de ser independente e sempre procurei ter meu próprio dinheiro. Sempre pensei em maneiras de não precisar depender de ninguém.

Considero-me um homem responsável que gosta de trabalhar e tenho como virtude ajudar a todos que eu posso e me esforço ao máximo para ver as pessoas bem.


Poderia definir alguns de seus valores, bem como os valores que admira em uma pessoa?

Aprendi com meu pai, desde novo, que um homem tem que zelar pelo seu nome, honrar com sua palavra e assumir seus compromissos. E com isso eu sempre busquei ser honesto. E as qualidades que eu mais gosto nas pessoas são, sem dúvida, a honestidade e a sinceridade. Não sou do tipo que fala apenas para agradar alguém. Pelo contrário, falo o que eu realmente acho. A sinceridade contribui para a vida de todos - ela nos ensina a crescer e a melhorar.


O que seu pai representa para você?

Meu pai me ensinou tudo o que sou, eu o perdi quando tinha vinte e dois anos e ele me faz muita falta. Ele era um cara extremamente honesto, pontual, sério com as coisas e muito responsável. Um homem de grandes virtudes.


Como é o Ciro “família”?

Eu tenho uma relação muito boa com minha família. Na verdade, comecei a ser responsável por minha família desde muito novo. Quando eu tinha nove anos de idade, meu pai sofreu um acidente, isso fez com que eu me achegasse mais a ele. Aos quinze anos eu já estava assumindo os negócios da família. E nos apoiávamos muito.




Qual o maior desafio que você enfrentou na sua vida?

Sem dúvida foi quando meu pai faleceu. Além de perder a pessoa que mais significava para mim, eu tive que lidar com questões financeiras. Estávamos com uma dívida muito alta e não sabíamos como pagar. Apesar de ter patrimônio, era uma situação delicada, pois corríamos o risco de perder tudo. Aquele momento foi muito difícil, pois, ao mesmo tempo em que precisava ter meu momento de luto, tinha que ser forte para cuidar da minha família.


O que essa situação significou para sua vida?

Esse momento significou uma virada de chave. Amadureci muito com tudo isso. Desde que meu pai tinha se acidentado, eu tive que começar a cuidar dos negócios, assumindo responsabilidades muito cedo - e aquela situação me fez ser totalmente racional, deixando a emoção de lado para lidar com tudo. Ali eu apenas foquei na solução. Foi isso que fez com que aflorasse ainda mais meu espírito empreendedor.


Qual o momento que mais marcou tua e do qual sente orgulho ou te traz felicidade?

Foi o momento em que eu paguei a dívida (risos). Acredito que meu pai, lá de cima, sentiu muito orgulho de mim. Eu consegui não só pagar a alta dívida como, também, fazer um excelente negócio. Essa negociação me marcou e me mostrou o quanto eu sou capaz. A questão financeira significou muito, mas, acima disso, vem a questão pessoal de poder se olhar no espelho e dizer: - Eu fui incrível. Eu consegui!




O que mais gosta de fazer nos momentos de lazer?

Aproveitar e curtir com meus amigos. Tenho-os como “irmãos”.

Gosto muito de esporte, no geral, e de ter o meu momento de aprender. Sempre que posso, procuro ler e estudar.


Quais são seus sonhos?

Constituir minha família, ter minha esposa e meus filhos, ser bilionário (risos) e ter minha instituição para ajudar crianças carentes.


O que as pessoas não sabem sobre você?

Que eu sou muito extrovertido, sou um palhaço. Principalmente quando estou com meus amigos. Gosto de ser alegre. E quem não me conhece cria uma imagem errônea de que sou metido e chato. Mas sou o oposto disso.


“Não concordo com a frase: - Fazer o bem sem esperar nada em troca. Acho que quando fazemos o bem, sempre esperamos que vamos receber em dobro. As coisas boas vêm para nós”.


Qual personagem ou pessoa te inspirou na vida?

Silvio Santos, pela trajetória de vida e Ayrton Senna, pela garra, determinação e pela fé que tinha em Deus.


O que a vida significa para você?

Viver é bom, é uma dádiva. E construir uma bela história, deixando um legado, é melhor ainda.

O dinheiro pode te facilitar muitas coisas boas. Mas ele não te dá a verdadeira felicidade. Eu penso que ele pode te dar uma boa moradia, mas não um lar. Ele te compra uma viagem, mas não te dá a alegria para desfrutar do momento. Ele contribui de todas as maneiras para a pessoa ter, mas não para ser. E isso é o maior significado da vida.


Como surgiu o “Compre gados”?

Minha família sempre foi de pecuaristas. Fui criado no meio do agronegócio e meu pai fundou empresas leiloeiras. E sempre tive vontade de aprender e procurava ficar por dentro de tudo. Com o passar dos anos eu senti a vontade de fazer algo diferente, mas que não saísse do que eu gostava e sabia fazer. Até que um dia eu pensei: - Por que não fazer um “OLX” da agropecuária? Foi quando surgiu a ideia do “Compre Gados”. Para isso tive a ajuda de um amigo, que hoje é meu sócio, Gabriel Medeiros Santos e de seu irmão que é programador.

Desenhamos todo o esboço, mas deixei o plano de lado, para dar início a um outro projeto no qual não fiquei por muito tempo.

Mais tarde resolvi dar andamento ao “Compre Gados” e lançamos a plataforma em 2019. Teve uma aceitação incrível. E meses depois, com a pandemia, tivemos uma grande ascensão, visto que não se podia ter leilões de forma presencial.


E as “Bebidas Online”, como começou?

Tanto o “Compre Gados” como as “Bebidas Online” nasceram próximas. No mesmo tempo que fiz o esboço da plataforma para compra de gados - eu e o Gabriel já idealizamos um app para compra de bebidas. E esse também teve um crescimento expressivo por causa da pandemia, visto que as pessoas não podiam sair de casa.



O que a pandemia trouxe de “lição” para você?

Que tudo é possível. Não estamos certos de nada! Hoje temos e amanhã podemos não ter. Mais que nunca, penso que devemos aproveitar cada momento, como sendo único.


Que mensagem você deixa para os jovens da sua idade, que sonham ter uma carreira de sucesso?

Sejam determinados, tenham fé e sempre acreditem em você. Se grandes empresários conseguiram chegar aonde chegaram, todos nós podemos!