O Sentido de Existir

A busca dos homens em se conectar com seu próprio ser por meio de energia, fé e na crença de algo transcendente e maior que nós mesmos


A maioria das pessoas tenta buscar sentido para a vida por meio do autoconhecimento e da conexão com Deus ou alguma outra entidade em que acredite. E a esta tentativa humana de se conectar através da fé e da energia, chamamos de espiritualidade - onde a fé e a crença em algo transcendente é maior que nós mesmos. A espiritualidade não está necessariamente ligada a uma prática religiosa. Ela pode ser uma jornada individual, em que cada pessoa atribui vivências e significados próprios para descrever essa ligação não tangível com um ser ou força superior. É nessa conexão com o etéreo que, muitas vezes, as pessoas encontram resiliência para compreender os momentos desafiadores da vida.


Onde me Encontro?

A terapeuta emocional e psicoterapeuta holística Cidinha D’Agostino desenvolveu a Teoria das Identidades Emocionais e explica que a maioria de nós procura uma forma de dar um sentido espiritual à vida, mas muitos não têm a fórmula desse sentido, porque se trata de uma escolha subjetiva, que vem de dentro para fora. “A espiritualidade verdadeira não vem da intelectualidade, senão da simplicidade e da pureza dos nossos sentimentos bons, das nossas boas intenções e boas ações que praticamos, amando a Deus, aos outros e a nós próprios. Essa espiritualidade proporciona o nosso encontro com o Amor superior e é a atitude interior que desvenda o mistério do sobrenatural agindo em nossa natureza. A realidade espiritual existe em nós porque Deus está em nós”.

Ela explica que a nossa mente se divide em dois níveis distintos: o consciente e o inconsciente. Como os próprios nomes já indicam, o consciente tem consciência e o inconsciente não tem consciência. “Assim, aquilo que pensamos é energia e aquilo em que acreditamos é vibração. Portanto, somos inteiramente responsáveis por aquilo que pensamos e pelas escolhas que fazemos em nossa vida. O importante é compreendermos as variações dos pensamentos e das emoções relacionadas a todas as áreas de nossa vida e ressignificá-las à luz da espiritualidade, sob uma consciência amorosa, reconhecendo que somos originalmente luzes divinas. Pois só quando experimentamos o verdadeiro sentido de nossas vidas é que nos sentimos com Deus e vivenciamos o poder dessa transformação”.


A terapeuta emocional e psicoterapeuta holística Cidinha D’Agostino


O Universo a Nosso Favor

Para a terapeuta holística, Master Reiki Elizabeth Zararin, a espiritualidade está no sol, na lua e nas estrelas. “A espiritualidade é toda uma energia que nos conduz e nos impulsiona a sermos cada dia melhor. Basta buscar essa grande energia que o universo nos oferece e que está em todos os lugares. Para mim a espiritualidade é o amor que se manifesta através da energia de Deus para nos trazer aquilo de mais sagrado que nós, humanos, precisamos - para alcançar essa conexão que nos traz paz e plenitude, acessando nosso nirvana. Mas, para isso, é preciso entender que precisamos de conhecimento, entender o que é respeito, compreensão, compaixão. Precisamos entender que somos seres individuais e que o caminho é de cada um. Nós fazemos e renascemos todos os dias para as melhores oportunidades e é nas entrelinhas que os grandes mestres de luz nos escrevem. É nas coisas mais simples que eles falam conosco. A grande espiritualidade não tem rótulos, só amor. Vamos reverenciar em cada momento de nossas vidas e entender que aqui é uma passagem e a eternidade nos espera, para continuarmos a buscar o conhecimento e amor para a grande cura planetária”.


A terapeuta holística, Master Reiki Elizabeth Zararin


Uma Vida mais Completa

A empresária Master Coach, Psicanalista e Administradora de Empresas, Rosângela Motta, especialista em Análise de perfil e consultora em gestão de pessoas pela IMX, acredita que esse seja um momento importante para esclarecer do que se trata a espiritualidade, que nada tem a ver com organizações religiosas, doutrinas, ritos e dogmas criados pelo homem. “Espiritualidade é uma conexão bem mais profunda com a dimensão interior do ser que leva ao reconhecimento de si mesmo e do lugar que ocupa no mundo. Gosto de dizer que a espiritualidade é o começo de todas as coisas, pois precisamos dotar a vida de sentido, e quem nos traz isso é a espiritualidade. E essa busca de sentido é, hoje, a principal motivação do ser humano. E quando essa necessidade deixa de ser atendida, a vida nos parece vazia, porque quando não estamos bem conectados com quem somos, vivemos uma vida mecânica, como no ‘piloto automático’, sem expansão de qualidade de vida. E a espiritualidade nos conecta com a nossa parte divina, com o universo. E quando temos essa conexão, temos a percepção da vida de outra forma, encontrando sentido mais profundo de significado e propósito. Enxergamos tudo como tem que estar e conseguimos facilmente abrir mão do que não nos faz bem, atraindo pessoas que buscam as mesmas coisas que nós. É como se a vida ficasse mais leve, mesmo com todos os seus desafios. Não fomos ensinados desde cedo a olhar para nós, para nossos talentos, a saber gerir nossas emoções, o que pensamos e sentimos. Não aprendemos a olhar para dentro de nós com empatia, amor, acolhimento, espiritualidade. Não aprendemos a olhar para as nossas forças de caráter - não aprendemos sobre nada disso! Por isso, hoje, segundo uma pesquisa, 90% dos profissionais estão insatisfeitos com suas carreiras. São diversas as pessoas que vivem no ‘modus operandi’, ou seja, ‘deixe a vida me levar’, sem saber exatamente o que buscam. Sem a espiritualidade e autoconhecimento, estamos vivendo uma vida rasa, vulnerável aos fatores externos da vida. E quando você entende como o seu ‘sistema’ funciona, quais são os valores que norteiam a sua vida, o que faz seu coração bater mais forte e aonde quer chegar, a sua jornada se torna mais leve. E, assim, passamos a apreciar melhor e com mais simplicidade os prazeres da vida”.


A empresária, Master Coach, Psicanalista e Administradora de Empresas, Rosângela Motta.