Ikebanas

Por Leila Sílvia Gabriel Rogério

Afeiçoei-me às flores quando jovem e, de lá pra cá, procurei estar com elas no âmbito pessoal e também acadêmico.

Para mim não existe ambiente harmônico sem a presença das flores. Elas dão o toque de alegria e enchem primeiramente os olhos. Porém, é no coração que elas realmente irradiam toda a essência de estarmos unos com a natureza. Há quase 40 anos busco na flor o autoconhecimento para, assim, ser útil em tudo o que for realizar, seja no lar, no trabalho ou no lazer.

O conceito filosófico da Escola de Ikebana, o qual pratico, Estilo Sanguetsu, busca a integração do ser humano com a natureza, propiciando o desabrochar dos mais elevados sentimentos, enobrecendo assim o caráter.

A premissa do patrono da Academia Sanguetsu, Mokiti Okada, é a de que "haja flores onde houver pessoas" e afirma que "onde há flor, aflora Luz". Então nós, praticantes dessa arte, colocamo-nos diante da flor para que ela nos ensine e nos mostre o caminho a ser percorrido em direção da concretização de um mundo melhor, onde estejam estabelecidas a saúde, a prosperidade e a paz.

Experimente! Colha uma flor, vivifique em um recipiente com água e deposite ali seus melhores sentimentos. Sim, a flor possui um tempo de vida como nós, e isso nos leva a refletir sobre nossa existência também. Quando ela murchar, devolva-a para a natureza com gratidão e vivifique outra, numa nova oportunidade de aprendizado. Muitas vezes as flores em jardins ou vasos plantados não são percebidas. Por essa razão, ao trazê-las para dentro dos ambientes e convívio, elas nos permitem entrar em sintonia com o aspecto divino existente em nós, gerando uma frequência vibratória de puro êxtase.