top of page

Franchising:

uma história de sucesso e crescimento no Brasil


As primeiras franquias de negócio no Brasil começaram em 1960 e foram escolas de idiomas. Nos anos 70, as franchisings começaram a expandir no país, alcançando outros mercados como o de perfumaria, beleza e moda, por ser um modelo de negócio organizado e lucrativo.

Atualmente existem diversas marcas brasileiras que já adotaram as franquias.


Segundo a ABF, Associação Brasileira de Franchising, as franquias crescem cada vez mais. Somente no primeiro trimestre de 2022 o setor de franquias apresentou um crescimento de 8,8% em relação ao ano anterior. O número coloca as franquias no mesmo patamar em que estavam no período antes da pandemia, mostrando que possuem forte poder de recuperação, mesmo após crises.


A empresária Milena Lidor, proprietária da Franquear, empresa de consultoria para empresas que desejam se tornar franquias, conta que sua história com as franquias começou com a Microlins e que foi uma importante rede de franquias do segmento de informática na época.


Atualmente com 13 anos no mercado, Milena conta que no início ajudava os franqueadores a capacitar, treinar e preparar a equipe para a franquia. Assim eles podiam desenvolver seus colaboradores e os seus resultados, baseando-se em três pilares: formatação, gestão e expansão - e quando a empresa começou atendiam somente franquias”. Contudo, hoje a Franquear é uma empresa que escala negócios por rede e atende licenças, formatando a gestão de expansão para redes e redes próprias, além de concessões, parceiros e representações. “O nosso olhar é escalar negócios. Atuamos no Brasil, Estados Unidos, Paraguai e Europa. Acreditamos que para franquear uma ideia primeiramente é necessário verificar se aquele negócio é rentável. Se o negócio não vai bem, a franquia não é um caminho. A empresa precisa vir de um histórico de lucro e ter processos que funcionem e que possam ser replicados”.

Milena explica que a Franquear realiza uma análise profunda da empresa e, caso seja necessário, faz as mudanças devidas para que o negócio esteja sempre mais saudável e sustentável. “Investir numa franquia já consolidada significa que alguém já trilhou esse caminho e entende como o negócio funciona de forma plena. Claro que existem muitas dúvidas de como este negócio irá se desenvolver. Durante o modelo de formatação tudo isso é construído.


Além disso, é algo que sugere muita responsabilidade para o franqueador e, por isso, é muito importante ter uma formatação realizada com os máximos detalhes, alinhada às características e perfil do negócio”.


Conheça, abaixo, dois grandes “cases de sucesso” de empresários que pensaram além e fizeram, de suas franquias, grandes sucessos.


Rogério Gabriel é um dos nomes mais reconhecidos na área de franchising. Possui MBA em Marketing pela FGV, cursou empreendedorismo na Harvard Business School (EUA) e conta que a educação sempre o inspirou. “Fundei minha primeira empresa chamada Precisão, que fornecia equipamentos de informática também para empresas. Ali, identifiquei a necessidade de conhecimento para utilização desses recursos.


Começamos então a oferecer um atendimento pós-venda com treinamentos em tecnologia, para a preparação e capacitação de colaboradores dos nossos clientes, por meio de uma metodologia individualizada. Com a ‘bolha’ da internet vieram os e-commerces e o computador passou a ser visto como commodity.


Não tínhamos condições de competir com grandes varejistas. Por isso, tomei a decisão de transformar as lojas em escolas. Vi, na ocasião, uma nova oportunidade, que foi a criação da Prepara Cursos, em 2004, como escola de informática.


Desde o início, adotamos o sistema híbrido de ensino, com aulas presenciais e online. Tecnologia e inovação sempre foram o DNA da marca. O negócio deu certo, evoluiu e se tornou o Grupo Prepara - atualmente, Grupo MoveEdu”. Ele acredita que o sucesso da empresa é resultado das experiências que teve com o lançamento das faculdades Microlins e Prepara e explica que segundo um levantamento feito pelo grupo em 2021, 85% dos estudantes que passaram pelas escolas das marcas da MoveEdu gostariam de cursar o ensino superior com a chancela da edtech, que, desde então, vem estruturando esse novo passo.


Anualmente o grupo atende 500 mil estudantes em todo o Brasil, majoritariamente das classes C e D por meio de suas quatro marcas. Para o lançamento das faculdades, investimos R$ 50 milhões, provenientes de recurso próprio. Este foi um passo importante do grupo que chega no mercado com a proposta mais completa para alunos e investidores: estar entre as três maiores faculdades do país em cinco anos.


Os cursos técnicos, de graduação e pós-graduação já estão disponíveis em mais de 300 polos pelo país”.


Com tantos cases de sucesso Rogério acredita que, independentemente do segmento, é a forma como você se conecta com seus - franqueado e cliente final - que dita o sucesso de sua marca. É a soma das forças desses pilares que sustenta o negócio e o faz crescer e progredir.


Assim, é papel das franqueadoras investir nesse fortalecimento e buscar constantemente a inovação. É no núcleo da operação que a busca por tendências e os testes para implementá-las devem acontecer.


Obviamente, esse processo passa por análises, erros e correção de rotas. Mas o importante é se fazer inovar de forma rápida e financeiramente sustentável, podendo oferecer com agilidade para a rede formatos experimentados, atuais e de sucesso.


Guto Covizzi está à frente do nome Bella Capri, que completa em 2023 vinte e cinco anos de fundação, com 38 lojas no mercado, presentes em 27 cidades.


Guto, que hoje é o novo Diretor Regional da Associação Brasileira de Franchising (ABF) no interior de São Paulo, conta que a primeira loja foi fundada em 1998 em Mirassol. E ainda explica que o propósito da Bella Capri sempre foi fazer pizzas gourmet, com ingredientes de muita qualidade e excelência no atendimento.


“Em 2013 inauguramos um novo modelo de negócios, mais enxuto e muito rentável e, a partir disso, a expansão da rede foi mais sólida e rápida. Esse modelo de negócios contempla lojas no modelo que chamamos de "Casuale", onde você atende o cliente pelo sistema de retirada, delivery ou drive thru e também, em algumas cidades, com espaços para consumo informal no próprio local da loja.

Ele explica que as franquias costumam ser um ótimo negócio devido ao modelo operacional já testado no mercado. Também avalia que é aconselhável ao investidor observar se ele tem o perfil certo para ser o gestor de um empreendimento no setor de alimentação.


“A Bella Capri proporciona suporte completo em detalhes que fazem o sucesso da loja, mas, sem dúvida, o potencial franqueado precisa estar ciente de que ele precisa ter uma dedicação enorme ao negócio e ter foco também no atendimento, encantando o cliente”. Para Guto, a pizza é a primeira escolha do consumidor na hora de decidir seu jantar.


Essa paixão do brasileiro por pizza impulsiona um mercado bilionário que fatura mais de R$ 22 bilhões por ano e é um dos segmentos que mais crescem no mundo das franquias. É um negócio que vende todo dia: 365 dias por ano.


“A Associação Brasileira de Franchising (ABF) estima que no Brasil sejam produzidas mais de cinco milhões de pizzas por dia. Nesse mercado competitivo é preciso inovar para se ter sucesso.


Criamos um modelo revolucionário de franquia de pizzas, que é enxuto e muito rentável. São pizzarias de alta performance e produtividade, onde a inovação da tecnologia e a tradição das pizzas italianas de sabor gourmet são a receita do sucesso”.


Commentaires


bottom of page