Quem não é visto não é lembrado.

E se você quer ser lembrado, leia esse texto.


Minha vida não mudou só quando aprendi a falar em público. Minha vida mudou, de verdade, quando aprendi a me diferenciar por meio da comunicação.


Vamos falar sério?


Quero falar sobre algo que aconteceu agora e acontece a cada segundo. Aconteceu comigo, com você e com seu vizinho. Pude observar isso em eventos profissionais simples e em jantares de gala.


Em uma dessas ocasiões percebi que saber falar algumas frases bonitas formalmente e, ao mesmo tempo, realizar movimentos repetitivos e bem calculados com suas mãos não muda muita coisa quando todo mundo faz também.


Saber se comunicar em meio a tantos outros profissionais que também se comunicam bem não vai te fazer único. Saber calcular sua linguagem corporal e saber como algumas palavras bonitas podem cair bem em um networking já não é mais suficiente. Aliás, se você não sabe fazer o básico, precisa se atualizar.


O que quero dizer é que todos sabem que precisam melhorar sua comunicação. Mas todos já buscaram ajuda e melhoraram. Muitos já conseguem enfrentar uma plateia, muitos conseguem negociar grandes contratos e muitos conseguem abordar e conhecer dezenas de pessoas em eventos.


Isso pois todos, pelo menos aqueles que querem ser bem vistos, aprenderam a se comunicar. Ou seja, ser comunicativo já não é mais diferencial.


Como você se apresenta para alguém?

“Olá, meu nome é Bruna e sou dentista”.


Imagine Bruna se apresentando para alguém. Essa conversa aconteceu porque ela encontrou, em um jantar, uma grande profissional que admirava. Sem pensar duas vezes, Bruna abordou a conhecida e, com muita atitude, decidiu falar sobre si e aproveitar aquela grande oportunidade.


Você pode pensar que essa conversa durou alguns minutos. Bruna falou sua idade, que faculdade cursou e onde trabalha. A pessoa com quem Bruna está conversando seguirá a mesma estrutura, as duas irão trocar cartões e ponto final.


Bruna nunca mais será lembrada.


Bruna foi corajosa e se comunicou bem, mas não se diferenciou. Fez mais do mesmo. Portanto, não surpreendeu e não foi interessante. Se, em sua apresentação pessoal, não gerou interesse genuíno na outra pessoa, o seu cartão de visita não servirá em momento algum.


Já ficou claro, você deve ter estratégia para se comunicar de forma diferente. E quero aproveitar o exemplo para ajudar você que está lendo a se apresentar de forma diferente. Sair do normal.

Você já ouviu falar de três grandes nomes que aprenderam a se apresentar de forma diferente. E você só conhece esses exemplos porque eles se diferenciaram tanto que conseguiram sua atenção.


Walt Disney ou Disney;

Luiza Helena Trajano ou Magazine Luiza;

Steve Jobs ou Apple.


Todos se comunicam de forma diferente que qualquer outro, e isso os diferencia. Isso os torna únicos, lembrados e referências. Lideres que não só se comunicam bem, mas se apresentam de forma impactante, geram tanto interesse nos demais e ganham seguidores.


E qual a maior estratégia para isso? Criar vínculo emocional com quem está conversando. E isso acontece, primeiramente, no momento em que você se apresenta.


Então, volto na pergunta anterior, como você se apresenta?


Quando entender que você é muito mais do que um cargo, uma profissão ou uma categoria profissional, você saberá criar esse vínculo. Acima de tudo, você ajuda alguém.


Bruna, do exemplo, não é só dentista. Bruna ajuda jovens adultos a recuperarem a sua autoestima com a simplicidade de um sorriso saudável, bonito e convidativo.


A partir do momento que você definir claramente seu propósito e quem você ajuda você irá estabelecer uma conexão direta com quem te conhece.


Se achar difícil, quero ajudar você. Passei alguns anos estudando e me aprofundando em formas de me apresentar em eventos, reuniões, negociações, entrevistas, textos e vídeos e ser lembrado.


Vou escrever o resultado de meus estudos abaixo. Você lerá uma estratégia de apresentação pessoal que pode ser executada em menos de 1 minuto.


Ah, e não se esqueça: comunicar-se de forma eficaz é uma estratégia que deve ser utilizada como diferencial competitivo. E, para isso, você precisa falar bem, claro, mas precisa ter estratégias em seus discursos.


Tente essa:


Olá, meu nome é... (seu nome)

Eu acredito que... (por que você oferece este produto/serviço?)

E não só acredito nisto, como tenho a missão de fazer isto acontecer... (como você oferece esse produto/serviço?)

E faço isto através... (quais produtos ou serviços você oferece?)

Portanto, se você quer evitar.... (qual a dor do seu cliente?)

E além disto, conseguir... (qual o benefício que seu produto/serviço oferece ao cliente?)

Eu posso te ajudar!


Aqui vai meu exemplo:


Olá, meu nome é... Guilherme

Eu acredito que... a comunicação é a habilidade mais poderosa que existe. Acredito que sim, esta é uma habilidade que pode ser aprendida, mas que as pessoas não precisam deixar de ser quem elas são para se comunicar bem. Cada um tem seu perfil. Cada um, dentro de seu perfil, pode se comunicar bem. E acredito também que o processo para se desenvolver essa habilidade pode e deve ser uma jornada emocionante, divertida e empolgante.


E não só acredito nisto, como tenho a missão de fazer isto acontecer... trazendo técnicas e conhecimentos em um ambiente controlado, trabalhando a individualidade de cada um, além de proporcionar a oportunidade de aplicar tudo que foi aprendido em um projeto único e personalizado.

E faço isto através... de cursos intensivos, extensivos, in company e consultorias em comunicação.

Portanto, se você quer evitar.... se frustrar por perder oportunidades simplesmente porque não se comunica bem.

E além disto, conseguir... ser uma pessoa mais admirada e, com isto, atingir seus objetivos de forma muito mais fácil.

Eu posso te ajudar!



Aptitude - escola de Comunicação

Guilherme Constancio

Sócio proprietário da Aptitude