O que é “Constelação Familiar”?


Constelação familiar é uma prática terapêutica que busca resolver questões pessoais que geralmente atravessam gerações. “Quando carregamos em nosso sistema questões mal resolvidas como mágoas, sofrimento e repetições de padrões familiares a técnica da Constelação Familiar Sistêmica pode funcionar como um recurso benéfico, rápido e eficiente para resolução de emaranhados que nos impedem de ter uma vida saudável e feliz emocionalmente”, comenta Thaís Godoy.


A Constelação Familiar foi criada pelo teólogo e pesquisador das emoções humanas Bert Hellinger e atualmente tem sido utilizada no Brasil para mediação de conflitos no Judiciário e pelo próprio SUS vem adotando esta finalidade.


A Constelação não é religião e não substitui nenhum tratamento médico psiquiátrico, nem a própria terapia convencional. É um recurso que apascenta e traz clareza de determinados problemas comportamentais e relacionais.


As principais questões levadas a constelação familiar são as que envolve pai e mãe.

A aplicação é bastante abrangente, mas a maior parte dos emaranhados estão ligados a relacionamentos entre pais e filhos, que na maioria das vezes os filhos têm dificuldade em aceitar certos comportamentos dos pais que não consideram corretos e que não conseguem deixar de reproduzir repetindo os padrões dos pais.


Outras situações nas quais a Constelação apresenta-se bastante eficaz é no tratamento com filhos adolescentes, dificuldades no emprego e no âmbito profissional, algum destino familiar recorrente, problemas financeiros e história que se repetem (relacionamentos abusivos, traições, violência e até divórcio) pelo fato da pessoa estar presa nesse sistema e repetição de padrões.


Os dois desafios mais levantados nas constelações são dificuldade do trato com dinheiro e busca de relacionamento amoroso saudável... durante o processo pode ser observado a repetição de padrões de comportamentos de antepassados mesmo sem ter nunca conhecido. Por exemplo um familiar que perdeu alguma propriedade, um bisavô que vivia endividado, uma tia avó que foi abandonada pela família pelo fato de ter engravidado e se tornou vergonha para a família, abortos não revelados, tudo isso pode afetar outras gerações e não se trata de uma maldição, de acordo com Bert os descendentes podem repetir o destino ainda que inconsciente. E essa repetição de destino pode acontecer para a reposição de lugar para esse membro da família que sofreu exclusão.


O efeito da terapia acontece de acordo com a abertura da pessoa para a transformação, durante a sessão são realizados movimentos como:


“Eu vejo você!”

“Permito que você me veja!”

“Devolvo o que é seu e tomo o que é meu. “

“Eu perdoo você.”

“Eu te aceito”

“Se eu te causei algum mal, por favor me perdoe”

"Está tudo bem"

Com essas frases as pessoas se permitem ressignificar dores, mágoas e conflitos e tendo clareza sobre sua própria história ela consegue ter paz e trilhar um novo caminho de sucesso.


Thaís Godoy

(Consteladora Familiar)