Novembro Azul

Fique por dentro do assunto...


Sobre o Câncer de Próstata

A próstata é uma glândula do aparelho reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, de forma e tamanho semelhantes a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.


No Brasil, o câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais frequente em homens, após os tumores de pele. A doença pode demorar a se manifestar, exigindo exames preventivos constantes para não ser descoberta em estágio avançado e potencialmente fatal. Ela acontece quando as células deste órgão começam a se multiplicar de forma desordenada. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de próstata é o sexto tipo mais comum de câncer no Brasil.


Dados:

Tumor de próstata corresponde à 29.2% dos tumores em homens e corresponde à 13.3 % das mortes em homens ocasionadas pelos tumores primários.


Exames para detectar a doença

A recomendação é que homens a partir de 45 anos procurem seu urologista para discutir a prática e a realização da avaliação. Aqueles com maior risco da doença (história familiar, raça negra) devem procurar o urologista a partir dos 40 anos. Os exames consistem na dosagem sérica do PSA e no exame digital retal, complementares para o diagnóstico, com periodicidade anual.


Fatores de risco para o câncer de próstata?

• Idade (cerca de 62% dos casos são de homens a partir dos 65 anos)

• Histórico familiar

• Raça (maior incidência entre os negros)

• Alimentação inadequada, à base de gordura animal e deficiente em frutas, verduras, legumes e grãos

• Sedentarismo

• Obesidade


É possível prevenir?

Evitar a doença, não. Mas é possível diagnosticá-la precocemente, quando as chances de cura são de cerca de 90%.


Sintomas:

Na fase inicial, quando as chances de cura são maiores, não há qualquer sintoma. Por isso a importância dos exames. Na fase avançada, quando a cura é mais difícil, o paciente pode sentir: vontade de urinar com urgência, dificuldade para urinar e levantar várias vezes à noite para ir ao banheiro, dor óssea, queda do estado geral, insuficiência renal, dores fortes.


Opções de tratamento

De acordo com a fase do tumor e as características do paciente, o médico poderá definir quais as melhores formas de tratamento. Nos estágios iniciais da doença (tumores localizados e localmente avançados) a prostatectómia radical é o tratamento padrão. Consiste em uma cirurgia para retirada da próstata e apresenta altos índices de cura, embora existe a Radioterapia, Bloqueio Hormonal (medicação) e Quimioterapia (em casos avançados).


Ricardo Baruque

Urologista

CRM/SP 85.113 | RQE 17040 |