Moda comfy: tendência que veio pra ficar!


Look: Cinntè Store


A moda sempre acompanhou as tendências do mundo em todos os sentidos: da economia à política, dos movimentos culturais da sociedade às necessidades de mudanças impostas por grandes acontecimentos, como crises, desastres naturais ou simplesmente a passagem do tempo.

A mudança drástica mais recente que revirou o rumo das tendências de moda é, sem dúvida, a pandemia do coronavírus. Além da aceleração de processos digitais e tecnológicos, que proporcionaram o aumento exponencial do varejo online, nossas referências, necessidades e até gostos mudaram. Mais do que nunca, o consumidor está mais exigente e consciente de seus hábitos e costumes. E esse cenário dinâmico de transformação é terreno fértil para a moda que, melhor que muitos setores, se reinventou e nos ofereceu o que mais precisamos no momento: conforto.

A necessidade de praticidade e conforto já era observada e parcialmente atendida pelo mercado da moda, mas foi, literalmente, da noite para o dia que os apelos mudaram. Os saltos altíssimos e ternos estruturados exigidos pelas reuniões corporativas presenciais cederam lugar às blusas confortáveis e às rasteirinhas e chinelos desejáveis pelos encontros online.

Sim, a moda comfy veio para ficar, assim como o sistema de trabalho remoto para grande parte dos profissionais.



Mas o que é moda comfy?

Como o próprio nome diz, moda comfy é uma trend de looks confortáveis e práticos. Muito além de peças de moletom, looks comfy são peças ‘gostosas que abraçam o corpo’ e dão liberdade aos movimentos. E não pense que são necessariamente roupas para ficar em casa. O estilo ganhou também as ruas e deve nos acompanhar inclusive no trabalho.

Grandes marcas estão investindo pesado no estilo, composto por peças como conjunto de blusa e calça, macacões e vestidos despojados que não exigem grandes produções e fazem bonito até no happy hour. Os últimos desfiles trouxeram peças em algodão, linho e tecidos fluidos que ganharam modelagens mais modernas, amplas e clean. Alguns exemplos são as marcas brasileiras Animale e Cris Barros e lojas de departamento, como Renner, C&A e Riachuelo.



Moda democrática

Além de ser confortável para vestir, o estilo comfy é universal e vai totalmente na contramão dos rígidos padrões de beleza impostos pela moda. É um look para todos, sem qualquer distinção de gênero e medidas. Com tantas qualidades, alguém aí ainda duvida que a moda comfy veio pra ficar?


Por Patrícia Ribeiro

Jornalista e designer de moda