Mitos e verdades sobre a gravidez


Ter muita azia é sinal de que o bebê vai nascer cabeludo


Mito. A azia não tem nada a ver com a quantidade de cabelo de um recém-nascido. O mal-estar no estômago acontece porque o útero faz uma pressão sobre esse órgão, causando um refluxo, e também pelo aumento da progesterona, que estimula a produção do ácido. Só quem pode dizer se o bebê vai nascer com muito ou pouco cabelo é a genética.


Ficar muito tempo sem comer piora os enjoos


Verdade. O estômago aumenta sua produção de ácido quando está vazio, o que causa ainda mais enjoos e azia.

Além disso, o jejum prolongado pode dar origem a uma crise de hipoglicemia (queda no nível de glicose no sangue), o que causa tonturas e calafrios, faz a gestante suar excessivamente e pode até prejudicar o bebê. Crises constantes de hipoglicemia podem favorecer o desenvolvimento de diabetes gestacional.


Chupar limão faz os enjoos diminuírem


Verdade. As alterações hormonais desse período podem deixar as papilas gustativas mais sensíveis, e isso faz com que a gestante passe a ter aversão por vários alimentos, mesmo aqueles que eram seus preferidos antes da gravidez.

Ao chupar limão ou tomar um suco feito apenas com a fruta e água, ocorre um aumento da secreção salivar, o que ajuda a combater as náuseas


É melhor a gestante dormir sobre o lado esquerdo do corpo


Verdade. Quando a gestante se deita em cima do lado direito, pode haver uma compressão na veia cava, causando mal-estar e elevação da pressão arterial. Como isso não acontece ao se deitar dobre o lado esquerdo, essa é a melhor opção durante a gravidez.



Pintar o cabelo pode ser perigoso durante a gestação


Por questões de segurança, verdade. Muitas tintas para cabelo contêm componentes tóxicos como metais pesados, amônia e formol, que são absorvidos pelo couro cabeludo e podem passar para o bebê.

Até existem tintas livres de substâncias prejudiciais ao feto, porém, como nem sempre é possível ter certeza sobre a composição, é melhor evitar esse procedimento e qualquer outro que envolva o uso de produtos químicos.


Mulher grávida deve comer por dois


Mito. De maneira geral, a recomendação é de que a mulher grávida mantenha uma alimentação balanceada e saudável, com preferência para alimentos naturais, não processados ou industrializados, rica em fibras, vitaminas e minerais e pobre em gorduras, além de ingerir bastante líquido. Mulheres que engordam muito têm maior risco de desenvolver hipertensão e diabete gestacional, além de complicações durante o parto.


Mulher grávida não pode fazer exercício físico na gravidez


Mito. Atividade física é bem-vinda também durante a gestação. Mulheres com uma gestação livre de intercorrências e acostumadas a atividades físicas podem continuar com sua rotina, respeitando os limites da gravidez e com acompanhamento profissional. Importante evitar apenas aquelas atividades que oferecem risco de choque ou quedas.


Enquanto a mulher estiver amamentando não existe risco de engravidar


Mito. Em virtude das modificações hormonais relacionadas à amamentação, é possível que a mulher não consiga identificar o retorno da ovulação e engravide mesmo antes de apresentar ciclos menstruais novamente. Por essa razão, é de extrema importância o acompanhamento


Mulher grávida não pode tomar chá.


Mito. No entanto, nem todos os tipos estão liberados. De modo geral, chás claros, como de camomila e erva-doce, são os mais indicados – e, ainda assim, não é indicado bebê-los todos os dias. Deve-se evitar chás com excesso de cafeína e com efeito diurético. Chá mate, verde, preto, de canela e boldo, por exemplo, estão proibidos


Formato da barriga indica o sexo do bebê.


Mito. O formato depende da posição do bebê, da posição da placenta, da quantidade de líquido amniótico e também do abdome da gestante



Clínica Colombo

Dr. Paulo Eduardo Colombo

CRM: 135.841

Dra. Cristiane Navarro P. Colombo

CRM: 134.443

Ginecologia e Obstetrícia