Idosos X Condomínios



Pesquisas recentes apontam que, dos 210 milhões de brasileiros, 37,7 milhões são pessoas idosas, ou seja, com 60 anos ou mais. Sabemos que, com esse aumento da idade, a tendência é que algumas situações comecem a aparecer. Dificuldade na visão, a mobilidade e a força física diminuem, e, mesmo fatores psicológicos, como necessidade de atenção e carinho, tornam-se mais presentes.


Criar condições seguras de moradia é essencial para os idosos viverem bem nos condomínios e, por isso, construtoras e incorporadoras, têm apostado cada vez mais em empreendimentos com ambientes acessíveis e planejados para todas as necessidades da terceira idade. Nos condomínios, que apresentam necessidade de adaptações, síndicos e administradores condominiais utilizam-se das legislações vigentes, como a NBR 9050, de 2004, por exemplo, para garantir, acessibilidade e qualidade de vida aos idosos que moram nos condomínios edilícios.


A representação do condomínio, deve se atentar para esse assunto. Além das providencias exigidas na lei e nas normas, posturas respeitosas a essas pessoas e pequenos gestos podem fazer toda a diferença. Paciência e respeito são essenciais para lidar com a terceira idade e algumas práticas podem demonstrar isso, por exemplo, destinar vagas maiores para idosos dentro do condomínio, ou, no caso de sorteio, separar as mais próximas dos elevadores para pessoas com mobilidade reduzida; instalação de corrimões, pisos antiderrapantes e rampas para a prevenção e o auxílio na locomoção desses moradores; evitar resíduos que possam ter sabão ou detergentes na limpeza de corredores e não utilizar tapetes ou panos nesses ambientes; ficar atentos as áreas poucos iluminadas ou com luzes queimadas, instalar placas, números, nomes ou informações em locais estratégicos, bem visíveis e de fácil acesso. Importante lembrar que toda e qualquer alteração do regimento interno ou da convenção deve ser aprovada em assembleia.


Além disso, o condomínio pode promover uma série de atividades voltadas para os idosos. É comum que haja esse tipo de ação nas férias escolares, mas esses diferenciais também podem ser pensados para a terceira idade, como, por exemplo, equipamentos de ginástica específicos, aulas de dança, hidroginástica, entre outros.


Essas são apenas algumas dicas simples, mas que, com certeza, são um bom caminho para a segurança e qualidade de vida das pessoas da terceira idade do seu condomínio.

Ter empatia com seus vizinhos é uma das regras fundamentais da convivência em condomínio. Nos dias de hoje, em que, cada vez mais, existe um individualismo na população, vale atentar para o coletivismo, que propicia uma vida mais tranquila, sem conflitos e desrespeito.