Filipe Sisson: Uma história de sucesso



Um dos maiores nomes na indústria de piscinas, Filipe Sisson, fundador e CEO da iGUi, conta, em entrevista para a revista Nova Versão, como começou sua carreira e se tornou um grande empresário. Por influência do seu pai, Antônio Augusto Sisson, em sua adolescência cursou a faculdade de Administração e iniciou sua vida profissional como auxiliar de escritório numa empresa familiar do ramo de piscinas de pequeno porte e em estado falimentar (venda anual de cerca de 700 piscinas). Com o passar do tempo iniciou uma grande transformação em sua vida, onde se dedicou em tempo integral à sua verdadeira paixão, o “mundo” dos negócios. Aos 19 anos, após um acidente de automóvel sofrido por seu pai, ficou por mais de seis meses como diretor geral da empresa, onde assumiu em definitivo o comando da empresa. Após passar por vários momentos de crise econômica, o empresário conseguiu elaborar um plano para a fabricação de piscinas e hoje a iGUi é um dos nomes mais conhecidos nacional e internacionalmente. No ano de 2020, a empresa obteve um faturamento de R$ 952 milhões, quase alcançando o marco do bilhão. Segundo Sisson, foi o melhor ano de vendas dos 25 anos de trajetória da empresa, o que pode ser notado pelos últimos dados divulgados recentemente pela famosa revista Forbes.


Nova Versão: Filipe, qual a sua formação?

Sou formado em Administração de Empresas, mas quando comecei a faculdade éramos uma empresa familiar sob o comando do meu pai e do meu tio. Enfrentamos muitas dificuldades financeiras. Era uma empresa de pequeno porte e na época tinha um varejo e uma indústria. Nessa dificuldade meu tio saiu, ficando somente meu pai e eu.


Nova Versão: Como foi assumir a direção da empresa?

Quando eu tinha 19 anos meu pai sofreu um grave acidente, uma fatalidade. E eu, com essa idade, um menino ainda, era um estudante. Tínhamos 80 funcionários na fábrica e 35 no varejo. Meu pai ficou seis meses afastado e assumi o controle de tudo. Pouco tempo depois, ele decidiu se aposentar e assumi integralmente todo o controle dos negócios.


Nova Versão: Quem é o Filipe? E quais os seus valores?

Agora você me pegou de surpresa [sorri]. Acredito que sou uma pessoa muito aplicada, muito dedicada, sou aquele empresário que me envolvo com todas as questões da empresa. Se eu fosse um jogador poderia dizer que escanteio, jogo na lateral, marco na frente, chuto o pênalti e faço o gol. Acredito que o CEO de uma empresa deve agir assim. Procuro valorizar muito o ser humano também. Hoje somos mais de 10 mil colaboradores e essas pessoas fazem parte de toda a nossa história e o nosso crescimento.


Nova Versão: Quais as qualidades que você mais admira nas pessoas?

Posso usar meu próprio exemplo - o de acreditar nos sonhos. Cada pessoa tem uma função e uma característica, ninguém é bom em tudo e sempre precisamos uns dos outros. Mas cada um tem o seu valor em seu devido setor.


Nova versão: Qual o seu maior desafio desde que assumiu a iGUi?

De maneira geral, o Brasil é um país onde é difícil de se trabalhar. Para nós, pequenos e médios empresários, é muito difícil lidar com tantas leis e mudanças burocráticas. E lidar com o comércio no exterior ainda é uma questão bastante complexa.


Nova Versão: Como começou o projeto da empresa?

Trabalhei na empresa familiar até o ano de 1993, depois tive um período sabático. Mas, quando eu saí da empresa, os revendedores e as pessoas do sistema de franchising começaram a pedir para que eu voltasse. Depois de um ano e pouco, cheguei para eles e disse: eu tenho um projeto para vocês, ou seja, eu monto a empresa e depois que o projeto estiver andando, vocês me pagam uma parte. Passou um período de dois ou quatro anos, não me recordo ao certo, fizemos um jantar de despedida da empresa e nesse jantar eles decidiram me presentear com cotas da empresa.


Nova Versão: Quais os maiores diferenciais da iGUi?

Acredito que acima de tudo é uma empresa muito profissional em todos os setores, o que é raro no mercado de piscinas. Geralmente elas são individuais - ou familiares. O fato de termos muitos sócios - creio que todos fazem a diferença. As pessoas chegam aqui para trabalhar e fazerem o que gostam. Essa vontade que temos de crescer - tanto dentro quanto fora do país e de se reinventar, sempre, acredito ser o nosso grande diferencial. Profissionalismo e vontade de crescer são coisas muito importantes.


Nova Versão: Como a pandemia impactou o mercado de piscinas?

Talvez pelos nossos 40 anos de piscinas, identificamos muito rápido quais seriam as nossas oportunidades. Ficamos confinados no escritório para sabermos como íamos reagir, porque até o final de março do ano passado ninguém sabia de quase nada. Chegamos à conclusão de que não deveríamos parar de fabricar piscinas, nem parar de falar sobre piscinas e manter os diálogos para permanecermos no mercado. Era um risco a ser corrido, mas deu tudo certo e as vendas aumentaram consideravelmente nesse período.


Nova Versão: A empresa foi eleita como uma das melhores para se trabalhar, como vocês receberam essa notícia?

De fato, foi algo que nos tocou bastante por se tratar de muitos setores e muitos funcionários. Sem dúvidas foi algo muito gratificante para todos nós.


Nova Versão: Quais os planos da empresa para 2022?

Precisamos avaliar como ficará o mercado, tivemos um “boom” na construção civil. Mas vamos nos preparar para mais expansões. Muitas pessoas estão se planejando, mas acredito que as coisas demorarão um pouco para se reorganizar.


Nova Versão: Com todos esses acontecimentos, qual a nova versão do Filipe?

Montamos uma fábrica nos Estados Unidos, eu e minha família e estávamos morando lá. Tivemos que voltar, por causa da pandemia, e agora fica essa incerteza se ficamos no Brasil ou se voltamos para o exterior. Mas vamos nos reinventando.