“Destination Wedding” - casamento ao ar livre

Por Roni Vieira


Talento, dedicação e muito bom gosto foram os elementos certeiros que fizeram do nome Roni Vieira um dos mais disputados no Brasil. Roni falou com exclusividade para a revista Nova Versão sobre os projetos para o futuro, mercado atual de festas e como tem se adaptado nessa fase pós-pandemia.



Qual a tendência dos casamentos para o futuro?

“Acredito que nada irá mudar drasticamente, claro que teremos que fazer pequenas adequações, pois os casamentos ao ar livre poderão acontecer em maior quantidade. Esse modelo que chamamos de “destination Wedding” - casamento ao ar livre, fora do Brasil, já se torna uma grande realidade em nosso país. Isso porque as pessoas estão entendendo todas as belezas e recursos que possuímos aqui dentro. Para que tenhamos uma ideia, há uns quatro anos as pessoas faziam essas cerimônias em outros países por conta do ambiente. Mas toda a estrutura e o conceito da festa como o doce, bolo, música, orquestra, coral e fotografia não agradavam o gosto dos noivos. Por isso se começou a levar muitas coisas daqui para o exterior. Isto é, o ambiente era o de lá, mas toda a estrutura pessoal e equipamentos eram internos, o que deixava tudo muito mais caro.

A partir daí começamos a fazer o processo inverso, o de encontrar lugares paradisíacos aqui no Brasil para usar os nossos próprios recursos. Esse tipo de casamento é uma tendência que vai continuar muito forte. Começamos antes da pandemia e, agora, tenho certeza de que continuará por muito tempo”.



E as festas em salões fechados?

“Voltarão a acontecer com força total por se tratar de uma questão cultural. O brasileiro tem preferência por esse tipo de evento que é uma de nossas referências históricas, festas com grande número de pessoas. Essa tendência se manterá. Acredito que as festas ficarão mais afetivas, onde as pessoas começarão a dar mais valor ao resgate de grandes tradições, como noivos que exigirão festas clássicas e mais próximas ao que foi o casamento de seus pais, ou seja, um resgate, uma transição. Os vestidos já trazem modelos mais vintage, mais volumosos e românticos. É claro que há, nesse resgate, uma enorme vontade de celebrar com as pessoas que amamos”, finaliza.