Clínica Colombo

Talento, foco e determinação fizeram parte da receita de sucesso para um dos mais importantes centros de saúde em São José do Rio Preto e região.


A história da Clínica Colombo começa quando dois jovens com sonhos em comum se casam. Ele, Dr. Paulo Colombo, é especializado pela FAMERP em ginecologia e obstetrícia e ela, Dra. Hélide Borduqui Colombo, é Cirurgiã-Dentista, especialista em Odontopediatria. “Sempre sonhei ser médico e estava no terceiro ano da faculdade de Medicina quando minha esposa, Hélide, ficou grávida do nosso primeiro filho. Eu ainda não tinha me decidido quanto à especialidade, mas foi por meio do Dr. Jair Pinto, pelo qual tenho muita admiração, que fiz minha escolha. Era admirável ver a dedicação, o carinho e o respeito com que ele tratava todos os seus pacientes”.

Dr. Paulo também conta que sonhava ver os dois filhos na clínica, independente se escolhessem ou não a medicina. “Começamos num espaço que anteriormente era uma escola infantil e reformamos o local. Aos poucos - e com muito trabalho, adquirimos o imóvel da frente, hoje conhecido como a Clínica Colombo”, relembra Dra. Hélide. O sonho se realizou e anos mais tarde chegaram os filhos para compor o corpo clínico, Dr. Paulo Eduardo Colombo e sua esposa, Dra. Cristiane Navarro Colombo, ambos com especialização em Ginecologia e Obstetrícia pela FAMERP e a Dra. Mariana Colombo, Cirurgiã-Dentista com especialização em Implantes e Cirurgia Oral.

Ao falar sobre odontologia, Hélide conta que isso sempre foi algo muito bem resolvido na sua vida, tendo como inspiração a sua tia, também cirurgiã-dentista. “Era fascinante vê-la se dedicar aos seus pacientes, acho que isso me ajudou escolher a profissão. Antigamente, em minha especialidade, as inovações aconteciam de uma forma mais calma. Hoje tudo evolui bem mais rápido. Por isso é essencial se dedicar a novos conhecimentos, atualizações e novas tecnologias”, avalia.



Formado há 13 anos, o ginecologista Dr. Paulo Eduardo Colombo conta que o pai é a sua grande inspiração: “Desde criança eu o via clinicar e muitas vezes o acompanhei nos partos. Lembro-me de que antes de fazer a prova de residência, ele me chamou para uma conversa e disse que adoraria ter-me não apenas como filho, mas como parceiro e profissional, e isso foi decisivo em minha vida. Além disso, era comum escutar de suas pacientes sobre o dom que ele tinha de ouvir, de cuidar e de se doar. Com ele também aprendi a ser uma pessoa íntegra em todas as minhas ações e hoje vivo esses resultados, recebendo com gratidão o reconhecimento e o carinho dos meus pacientes, o que me motiva a fazer sempre o meu melhor”.

Questionado quanto aos conselhos que ele daria aos novos médicos ele afirma: “Estude incansavelmente, não tem como ser bom médico sem estudar bastante. Ainda estudo - e muito. Neste ano vamos implantar novas tecnologias, cirurgias de vídeo e robótica. Estudar é um ato fundamental para crescer na Medicina”.


Especialista em Implantodontia, Prótese e Estética, com residência em Buco Maxilo e Harmonização Facial, Dra. Mariana explica que a odontologia chegou em sua vida por meio de sua mãe: “Eu a acompanhava desde criança no consultório. Lembro-me de que tínhamos duas salas na clínica: uma da minha mãe e a outra do meu pai, mas sempre me pegava na sala da minha mãe e amava tudo ali. Até pensei em fazer medicina, mas a odontologia falou mais alto. Passei em primeiro lugar na faculdade e isso me motivou ainda mais para a Odontologia. Noto que em minha área não existe um padrão, uma regra especifica. Nós, os profissionais, temos uma visão, mas os pacientes têm as suas expectativas. Acredito ser muito importante respeitar os pacientes, seus desejos e necessidades, de maneira individual, pois cada caso é um caso. É muito importante entregar a eles o que cada um realmente espera de nós”.

Sobre os desafios na carreira, ela acrescenta: “Quando me formei fui a primeira mulher Buco Maxilo dentro da prefeitura de Rio Preto, comandei o CEO (Centro de Especialidade Odontológica), foram anos de muitas cirurgias, mas notava que as pessoas tinham um certo ‘pré-conceito’, como por exemplo: pode uma jovem mulher conseguir fazer cirurgias tão complexas, que antes eram realizadas somente por homens? A resposta é sim. Minha dedicação e o meu compromisso com os estudos me fizeram ser pioneira naquele local. Orgulho-me muito disso e de ter atendido às expectativas de todos os meus pacientes”, avalia.


Única médica na família, Dra. Cristiane Colombo se formou junto com o marido, o Dr. Paulo Eduardo Colombo, e conta como escolheu a medicina. “Entre meus 12 e 13 anos, lembro-me de que sequenciaram o DNA da ovelha Dolly para a clonagem, aquilo me deixou fascinada, e ao escolher a medicina toda a minha família me apoiou. Fiz Faculdade na PUC, em Sorocaba, mas só me decidi pela Ginecologia no quinto ano, e como uma boa rio-pretense, sonhava em trabalhar em ‘casa’ e me especializar no HB - hospital de referência em Ginecologia em toda a região. Foi lá onde conheci o Paulo e fui muito bem recebida por toda a sua família. Para uma médica em começo de carreira, foi um presente acompanhar as experiências da família entre as consultas e as salas de cirurgia”. Sobre os sonhos e a realização profissional, ela comenta: “É um enorme prazer ajudar as pessoas. Tenho pacientes que me acompanham há mais de 10 anos, seja em exames de rotina ou em casos mais complexos. O pré-natal, por exemplo, é algo muito especial, gosto de tratar meus pacientes de uma maneira muito individualizada, mas faço questão de conhecer cada história. O parto é apenas o desfecho de todo um acompanhamento. Agradeço pela minha família e por tudo o que conquistei na área médica. Ser mãe me ajudou a exercer minha profissão com um olhar ainda mais sensível, embora sempre tenha atendido a todos com muito amor”.

Do sonho, para a realização de uma vida toda, o patriarca da família Dr. Paulo Colombo garante: “Colher todos esses frutos que foram plantados, lá, no começo, nos dá muita alegria. É uma grande realização ver minha família na clínica, cada um em sua respectiva área, mas fazendo a diferença na vida das pessoas. Para todos nós, a área da saúde é motivo de alegria, romantismo e celebração. Vidas devem ser cuidadas e nascimentos são novas vidas que vão gerar outras vidas. Acreditamos que o nosso papel é acolher todas as pessoas com atenção, carinho e muito amor”, finaliza.