A ciência comprova: tutores de pets são mais felizes e saudáveis


Quando estamos ansiosos, qual a primeira medida compensatória que passa pela nossa cabeça? Comer doces, tomar algum remédio ou ir para a academia? Que tal um recurso diferente, como brincar com o pet? Nosso animal de estimação é muito mais do que prazer e diversão ou de se ter um(a) companheiro(a) nas horas vagas e de dizer que você é dono (a).


Não preciso dizer o quanto a parte emocional afeta negativamente nossa saúde. Em tempos de pandemia, este cenário tem se agravado ainda mais. E sabemos que o estresse implica numa série de alterações metabólicas que causam sérias complicações.


A boa notícia é que nas últimas décadas, estudos têm apontado as vantagens da presença de um animal de estimação como forma de aliviar a sobrecarga de nossa rotina e de prevenção de agravos mais sérios. Mais tempo de convivência com um animalzinho pode significar uma saudável quebra da rotina. Lembrando, ainda, que praticar os mesmos hábitos todos os dias é extremamente maléfico para a saúde.


Em nosso dia a dia é comum dizermos frases como “meu pet entende tudo, só falta falar” ou “meu pet parece que sente tristeza e alegria como um ser humano”... E tudo isto é verídico e é exatamente por este motivo que a convivência mais aprofundada com um animal de estimação pode se traduzir em plenitude, bem-estar e, principalmente, prevenção de males para nossa saúde.


Como cirurgião cardiovascular, já testemunhei situações de pré e pós-operatório nas quais a presença de um pet dentro do ambiente hospitalar foi capaz de mudar favoravelmente o curso natural dos fatos. Há vários relatos, também, do impacto positivo da presença do pet no dia a dia de uma pessoa que tem câncer e está semanalmente realizando sessões de quimioterapia e radioterapia.


Um animal de estimação é capaz de fazer qualquer um se recuperar ou melhorar a autoestima. Não tem como conviver com um ser dócil, leal e espontâneo e sentir depressão, vontade de chorar ou mesmo desistir de viver.


Sabe aquela questão que fiz lá no primeiro parágrafo desse texto? Qual seria a sua resposta agora, ao fim da leitura? Podemos dar mais valor ao papel do pet em nossas vidas? Vamos refletir!


Dr. Edmo Atique Gabriel

Médico Cardiologista

CRM: 105.226